Imagem da protagonista do seriado My So Called Life olhando para a câmera, ao lado do nome da série e do número #110
Podcasts

Feito por Elas #110 My So Called Life

Esse programa é sobre a série estadunidense My So-Called Life, criada pela roteirista Winnie Holzman, protagonizada por Claire Danes e que estreou em 1994. Conversamos sobre a trajetória das personagens, o pioneirismo na representação e o impacto afetivo e nostálgico da série na nossa equipe.O programa é apresentado por Isabel Wittmann, Stephania Amaral, Camila Vieira e Kel Gomes.

Oferecimento:

Telecine: acesse para testar

Feedback: contato@feitoporelas.com.br

Feed|Facebook|Twitter|Instagram|Letterboxd|Telegram

Pesquisa, pauta e roteiro: Isabel Wittmann, Stephania Amaral, Camila Vieira e Kel Gomes.

Produção e edição: Isabel Wittmann

Arte da capa: Amanda Menezes

Vinheta: Felipe Ayres

Locução da vinheta: Deborah Garcia (deh.gbf@gmail.com)

Música de encerramento: Bad Ideas – Silent Film Dark de Kevin MacLeod está licenciada sob uma licença Creative Commons, Attribution, Origem, Artista.

Assine nosso Padrim

Assine nosso Patreon

Agradecimento: Carolina Ronconi e Leticia Santinon

Mencionados:

[FILME] Aos Treze (Thirteen, 2003), dir. Catherine Hardwick

[FILME] 10 Coisas que Odeio em Você (10 Things I Hate About You, 1999), dir. Gil Junger

[FILME] As Patricinhas de Beverly Hills (Clueless, 1995), dir. Amy Heckerling

[FILME] Romeu + Julieta (Romeo + Juliet, 1996) dir. Baz Luhrmann

[FILME] Eu, Christiane F., 13 Anos, Drogada e Prostituída (Christiane F. – Wir Kinder vom Bahnhof Zoo, 1981), dir. Uli Edel

[SERIADO] Minha Vida de Cão (My So-Called Life, 1994–1995), criado por Winnie Holzman

[SERIADO] Chaves (El Chavo del Ocho, 1972–1984), criado por Roberto Gómez Bolaños

[SERIADO] Gilmore Girls: Tal Mãe, Tal Filha (Gilmore Girls, 2000–2007), criado por Amy Sherman-Palladino

[SERIADO] Barrados no Baile (Beverly Hills, 90210, 1990–2000), criado por Darren Star

[SERIADO] Dawson’s Creek (1998–2003), criado por Kevin Williamson

[SERIADO] Blossom (1990–1995), criado por Don Reo

[SERIADO] Thirtysomething (1987–1991), criado por Marshall Herskovitz e Edward Zwick

[SERIADO] Seinfeld (1989–1998), criado por Larry David e Jerry Seinfeld

[SERIADO] S.O.S. Malibu (Baywatch, 1989–2001), criado por Michael Berk

[SERIADO] Felicity (1998–2002), criado por J.J. Abrams e Matt Reeves

[SERIADO] Friends (1994–2004), criado por David Crane e Marta Kauffman

[SERIADO] Louco por Você (Mad about you, 1992–2019), criado por Danny Jacobson

[SERIADO] Extreme (1995), criado por Anthony Hickox e Michael Keusch

[SERIADO] Twin Peaks (1990-1991), criado por Mark Frost e David Lynch

SERIADO] Fleabag (2016–2019), criado por Phoebe Waller-Bridge

[SERIADO] Sex Education (2019– ), criado por Laurie Nunn

[SERIADO] Eu Nunca… (Never Have I Ever, 2020–), criado por Lang Fisher, Mindy Kaling

[LISTA] Selo Faustina 2020, no Letterboxd

[PLAYLIST] My So-Called Life, no Spotify

[CLIPE] I Touch Mysel”, do Divinyls

[VÍDEO] Angela Chase – “Blister In The Sun”, Violent Femmes

[LIVRO] A Metamorfose, Franz Kafka 

[LIVRO] O Diário de Anne Frank

[REVISTA] Rolling Stone

[REVISTA] Capricho

Relacionados:

[PODCAST] Feito por Elas #86 Fleabag

[PODCAST] Feito por Elas #99 Aos Treze

[PODCAST] Feito por Elas #104 10 Coisas Que Odeio em Você

[PODCAST] Feito por Elas #107 As Patricinhas de Beverly Hills

Compartilhe
Share

3 Comentários

  • Tha Petelinkar

    Oi, amoras! (a íntima)

    Eu ia comentar no twitter, mas sinto q será quase uma carta, resolvi comentar aqui rs

    My So-Called Life eu conheci pela primeira vez assistindo meio episódio (talvez nem isso) pela tv aberta, com o nome de Minha Vida de Cachorro, não faço ideia de quando foi isso (mas eu era adolescente). Eu fiquei encantada com o trechinho que assisti, mas por algum motivo (talvez horário incompatível), nunca consegui ver mais nada. A série ficou guardada numa caixinha na minha memória e vez ou outra eu lembrava que tinha um desejo de assistir tudo, mas acabava não indo atrás. Aí, eu vi que vcs fizeram o episódio do podcast, resolvi finalmente baixar e maratonar no feriado.

    Por isso, OBRIGADA. Eu amei a série!

    Queria fazer uns comentários sobre coisas que vcs disseram:
    Eu fiquei muito decepcionada quando assisti o primeiro episódio, achei que ia acabar não gostando da série, eu achei que nesse início a Ângela basicamente inventa problemas. As brigas com a mãe me parecem pura birra dela (inclusive, cabei me identificando muito com a mãe dela hahaha), a briga com a melhor amiga eu achei surreal de nada a ver (tipo, ela poderia só passar a sair mais com a Rayanne, precisava passar a ignorar totalmente a Sharon DO NADA?). Contudo, já a partir do segundo episódio, a Ângela passa a ter conflitos muito mais palpáveis e intrínsecos à adolescência. A adolescente que ainda mora dentro de mim acabou se identificando muito com ela! Eu só não digo que eu ERA a Ângela na minha adolescência porque eu nunca tive essa coragem que ela tinha de ir falar com o crush e tb não passei por essa fase revoltadinha com todo mundo hahaha Mas eu era extremamente introspectiva e melancólica, vivia perdida nos meus próprios pensamentos e estava completamente perdida/em construção.
    Não querendo defender os meninos Jordan e Brian, mas eu só queria pontuar que adolescente faz muita merda, então eu meio que perdoo muita coisa neles. Eu tb queria passar uns pano para os pais da Ângela pq eu acho que eles começam a série com muitos preconceitos em vários sentidos, pisam na bola sim, mas eu acho importante pontuar que eles se desconstroem muito ao longo da série e as pisadas de bola eu perdoo pq é muito foda ser mãe/pai gente, sério (tendo em vista que temos que conciliar com tantos outros aspectos da nossa vida, como: ser esposa e/ou funcionária e/ou dona de casa e/ou GENTE rs) .
    Eu queria me juntar ao coro e dizer que EU AMO O RICKIE. Ele é O ÚNICO que não vacila com ninguém. Ele é sensato, ele é carinhoso, inteligente, educado, amigo, se preocupa real com todos. O menino é perfeito! Ele já era meu favorito antes de a série passar a se concentrar nos perrengues da vida dele e estes foram episódios que eu chorei muito. Aliás, a fala da Camila sobre o Wilson Cruz e o pai dele me fez SOLUÇAR de chorar ouvindo o podcast.
    Eu gosto muito dos dois episódios fantásticos/sobrenaturais (Halloween e Natal) e gosto muito que a série é MUITO anos 90 (adorooooo a abertura). E concordo com a Stê, inspirada no Lynch <3, que acha o final da série bom do jeito que está rs

    Vou finalizar declarando meu amor por vcs quatro! Como sempre as discussões que vcs levantam são sempre muito ricas, cheias de informação; são análises profundas mesmo. Eu adoro que vcs falam sobre tudo, desde questões mais técnicas até as percepções mais subjetivas. Todas vcs, sem tirar nem por, são maravilhosas! Adoro as contribuições que cada uma traz pras discussões! Parabéns!

    Beijão!! :*

    Tha

    • Isabel Wittmann

      Oi Tha! Que comentário lindo! Que ótimo que vc compartilhou essa experiência com a gente. Acho que deu pra perceber que eu tb passei pano pros pais dela, né? Achei muito louca essa coisa da idade, fiquei o tempo todo pensando se fosse eu com uma filha adolescente hoje. São tb muitas dúvidas e muitas incertezas. E o Rickie é especial demais, mesmo! <3 E nós temos muita sorte de ter uma ouvinte como vc. Obrigada mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *