Notícias

Adele Haenel anuncia afastamento da indústria do cinema

Em entrevista para a revista alemã FAQ, a atriz francesa Adele Haenel anunciou que vai deixar a indústria do cinema. “Não faço mais filmes. Por razões políticas”, ela explicou. “Porque a indústria cinematográfica é absolutamente reacionária, racista e patriarcal. Nós estamos nos enganando se dissermos que os poderosos são de boa vontade, que o mundo está de fato se movendo na direção certa sob sua boa e às vezes inábil gestão. De jeito nenhum. A única coisa que move a sociedade estruturalmente é a luta social. E parece-me que, no meu caso, sair é lutar. Ao deixar esta indústria de vez, quero participar de outro mundo, de outro cinema”, afirma a atriz, que não exclui trabalhar com profissionais como Gisèle Vienne e Céline Sciamma.
Ela acrescenta: “Por exemplo, a perspectiva das mulheres nos filmes. Tentei mudar algo de dentro. Quando se trata do movimento MeToo, questões femininas ou racismo, a indústria cinematográfica é extremamente problemática. Não quero mais fazer parte disso”.
Finaliza explicando que “Se eu ficasse hoje nessa indústria do cinema, seria uma espécie de garantia feminista para essa indústria masculina e patriarcal. Meu sonho é deixar claro: essa indústria defende um mundo capitalista, patriarcal, racista, machista e de desigualdade estrutural. Isso significa que essa indústria trabalha lado a lado com a ordem econômica global, na qual todas as vidas não são iguais”.

Compartilhe
Share

Crítica de cinema, doutoranda em Antropologia Social, pesquisa corpo, gênero e cinema e é feminista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.