• Notícias

    Abraccine elege melhores curta-metragens brasileiros de todos os tempos

    Os membros da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) votaram e escolheram os 100 melhores filmes brasileiros em curta metragem da história. O vencedor foi Ilha das Flores (1989), de Jorge Furtado. Entre esses 100, 13 foram dirigidos ou co-dirigidos por mulheres, sendo eles: 9º A entrevista (1966), de Helena Solberg 27º Guaxuma (2018), de Nara Normande 37º O duplo (2012), de Juliana Rojas 50º Praça Walt Disney (2011), de Renata Pinheiro e Sergio Oliveira 59º Torre (2017), de Nádia Mangolini 64º Lacrimosa (1970), de Aloysio Raulino e Luna Alkalay 70º Mulheres de cinema (1976), de Ana Maria Magalhães 71º Kbela (2015), de Yasmin Thayná 83º Kyrie ou o…

  • Podcasts

    Feito por Elas #72 Helena Solberg

    O programa de hoje é sobre a diretora, roteirista e produtora brasileira Helena Solberg, reconhecida como a única mulher a participar do Cinema Novo. Conversamos sobre seus filmes A Entrevista (1966), Carmem Miranda: Banana is My Business (1995), Vida de Menina (2003) e A Alma da Gente (2013). O programa é apresentado por Isabel Wittmann do Estante da Sala, Camila Vieira da Revista Sobrecinema e Stephania Amaral do Cinematório e Instagram Discos da Stê. Feedback: contato@feitoporelas.com.br Feed|Facebook|Twitter|Instagram|Letterboxd|Telegram Edição: Felipe Ayres e Isabel Wittmann Pesquisa e pauta:Stephania Amaral e Isabel Wittmann Arte da capa: Amanda Menezes Vinheta: Felipe Ayres Locução: Deborah Garcia (deh.gbf@gmail.com) Assine nosso Padrim Assine nosso Patreon Mencionados: [FILME] Shoes (1916), de Lois Weber [FILME] Olhar Estrangeiro (2006), de Lúcia Murat [FILME] Você…

  • Colunas,  Literatura com Elas

    Memórias de uma menina

    Aproveitando a publicação do episódio sobre a filmografia da Helena Solberg no podcast Feito por Elas, a coluna aborda hoje a obra Minha Vida de Menina, de Helena Morley, que foi adaptado para o cinema pela Solberg no longa metragem Vida de Menina (2003). A obra é uma compilação dos diários de Helena Morley – pseudônimo de Alice Dayrell Caldeira Brant (1880-1970) -, escritos entre 1893 e 1895, em Diamantina, Minas Gerais. Na época, a autora tinha entre 13 e 15 anos, mas o livro só foi publicado em 1942, quando a autora já tinha 62 anos. Por ter o formato de diário, a obra não entrou nos cânones da…