Blogs,  Estante da Sala

[43ª Mostra de São Paulo] Segredos Oficiais (Official Secrets, 2019)

Esta crítica faz parte da cobertura da 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, que ocorre entre 17 e 30 de outubro na cidade.

Keira Knightley em um drama de época. Embora tal frase resuma boa parte da carreira da atriz, nesse filme o retrato histórico é quase nosso contemporâneo (e nos faz pensar na forma como acontecimentos de épocas em que já vivemos podem ser consideradas momentos da história, mesmo que da história recente). Dirigido por Gavin Hood, o filme é adaptado do romance The Spy Who Tried to Stop the War: Katharine Gun and the Secret Plot to Sanction the Iraq Invasion, de Marcia Mitchell e Thomas Mitchell pelo próprio diretor junto com Gregory Bernstein e Sara Bernstein. A trama é baseada em acontecimentos reais e o filme se passa no período que antecede e que segue a declaração de guerra do Estados Unidos e do Reino Unido ao Iraque, nos início dos anos 2000. Knightley interpreta a whistleblower Katharine Gun.

Gun, que não se considerava especificamente pacifista, trabalhava em uma central de comunicação governamental da Inglaterra (a Government Communications Headquarters) como tradutora de mandarim. Em 2003 todos os funcionários do setor receberam um comunicado interno informando que trabalhariam na espionagem de líderes de países em desenvolvimento, para buscar pontos sensíveis que pudessem ser utilizados para que fossem convencidos (o fato de ser por meio de chantagem fica implícito) a votar a favor da guerra no Conselho de Segurança da ONU. Gun é retratada como uma pessoa que, na vida provada, criticava a falta de provas das conexões entre Saddam Husseim e a Al Qaeda, assim como da existência de armas de destruição em massa no Iraque, advogadas como motivações para o ataque defendido pelo Primeiro Ministro Tony Blair em rede nacional.

Por esse motivo, imprimiu uma cópia do referido e-mail e entregou-o a uma amiga, incumbida de repassá-lo à imprensa. Alguns jornais não acreditaram na veracidade do conteúdo e coube ao jornalista Martin Bright (Matt Smith) a derradeira publicação. Repórter do jornal The Observer, que tinha uma linha editorial conservadora e governista, convenceu seu editor da gravidade dos fatos e da necessidade de noticiá-los.

Acontece que com o vazamento, Gun violou a Lei de Segredos Oficiais, que trata de informações sigilosas e sua relação com funcionários do governo. Uma vez descoberta a autoria do vazamento, passa a ser assediada pelo Estado, que usa de espionagem, perseguição a ela e ameças veladas (ou não) ao status de seu marido, um migrante curdo, no país. A trama culmina com um julgamento, em que a protagonista é defendida por Ben Emmerson (Ralph Fiennes), advogado especializado em casos de perseguição política.

O filme se favorece da boa interpretação dos atores, da fotografia acinzentada e do roteiro que, apesar dos diálogos expositivos, constrói satisfatoriamente o thriller político. Gun é uma personagem bem construída e não aparece como dona de um idealismo pétreo, nem como uma ativista abnegada, mas como uma pessoa como tantas outras, que meramente foi motivada por algo que considerava condenável (e, na prática, ilegal) por parte do Estado para que trabalhava.

Com um narrativa que prende o espectador em todos os seus desdobramentos, atuações sólidas e personagens críveis, Segredos Oficiais é um interessante retrato do passado recente da história política. O filme reforça a necessidade da participação da imprensa na cobertura de vazamentos de informações governamentais que dizem respeito à população, destacando o papel dos indivíduos comuns, e não heróis inalcançáveis, nesse processo. Por fim, desvela os meandros com que países desenvolvidos são capazes de atuar para manipular países em desenvolvimento, fazendo uso de mentiras, ilegalidade e mesmo a perseguição aos seus próprios cidadãos para alcançar seus objetivos imperialistas, tendo a busca pela paz como disfarce. Na soma desses fatores, Segredos Oficiais é uma narrativa contemporânea aprazível e instigante.

Nota: 3,5 de 5 estrelas
Selo "Approved Bechdel Wallace Test"

Share

[43ª Mostra de São Paulo] Segredos Oficiais (Official Secrets, 2019)

Compartilhe
Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *