Podcasts

Feito por Elas #132 Educação

Esse programa é sobre o Educação (An Education, 2009), dirigido pela Lone Scherfig e protagonizado por Carey Mulligan, filme que foi indicado a 8 BAFTAS e 3 Oscars. Discutimos o equilíbrio da construção das personagens, a noção de diversas possibilidades de educação e a forma como o figurino retrata a trajetória da protagonista em relação às outras mulheres. O programa é apresentado por Isabel WittmannKel Gomes.

Feedback: contato@feitoporelas.com.br

Feito por Elas · Feito por Elas #132 Educação

Feed|Facebook|Twitter|Instagram|Letterboxd|Telegram

Pauta e roteiro: Isabel Wittmann e Kel Gomes.

Produção e edição: Isabel Wittmann

Arte da capa: Amanda Menezes

Vinheta: Felipe Ayres

Locução da vinheta: Deborah Garcia (deh.gbf@gmail.com)

Música de encerramento: Bad Ideas – Silent Film Dark de Kevin MacLeod está licenciada sob uma licença Creative Commons, Attribution, Origem, Artista.

Apoie nosso financiamento coletivo no Padrim, Patreon ou Catarse

Agradecimento: Carolina Ronconi, Leticia Santinon, e Lorena Luz

Mencionados:

[FILME] Educação (An Education, 2009), dir. Lone Scherfig

[FILME] Italiano para Principiantes (Italian for Beginners, 2000), dir. Lone Scherfig

[FILME] Um Dia (One Day, 2011), dir. Lone Scherfig

[FILME] Guerra ao Terror (The Hurt Locker, 2008), dir. Kathryn Bigelow

[FILME] O Brilho de uma Paixão (Bright Star, 2009), dir. Jane Campion

[ENTREVISTA] Lone Scherfig on An Education, por Gail Tolley para The Skinny

[ENTREVISTA] Interview with Lone Scherfig – Director of An Education, por Melissa Silverstein para HuffPost

Relacionados:

[PODCAST] Feito por Elas #06 Jane Campion

[PODCAST] Feito por Elas #42 Kathryn Bigelow

[PODCAST] Feito por Elas #67 Susanne Bier

Compartilhe
Share

2 Comentários

  • Marco

    É um filme pra mulheres, de fato. É sobre um sonho feminino, da perspectiva feminina. Um conto moderno de principe e princesa. Muito dificil um Homem sentir interesse por esse tipo de filme.

    • Feito por Elas

      Interessante seu comentário. Nosso trabalho no FpE não limita nenhum gênero cinematográfico a nenhum identidade de gênero da pessoa que possivelmente possa vir a assistir ao filme. Nesse caso, o romance é uma história pautada em manipulação e mentira, então provavelmente não é um sonho para nenhuma pessoa. Agora, o desejo de ascenção social e mudança de perspectivas é algo que realmente une inúmeras narrativas sobre jovens, tanto homens quanto mulheres. Um dos aspectos mais interessantes do cinema é que, mesmo que histórias se repitam, a graça não está no quê está sendo contado, mas no como, ou seja, de que forma a linguagem serve à narrativa. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *