• Blogs,  Críticas,  Stephania Amaral

    LITTLE WOMEN

    Comecei a assistir à Adoráveis Mulheres, da Greta Gerwig, com a trilha sonora imaginária “I Just Wasn’t Made For These Times”, dos Beach Boys. Sempre tenho a sensação anacrônica de que nasci na época errada, tempos de amores líquidos, distantes dos sentimentos refinados e dos poetas suicidas. Contrapondo a vida restrita das quatro irmãs Meg, […] https://stephaniaamaral.wordpress.com/2020/01/09/little-women/...

  • Indicações,  Livros

    A teus pés, Ana Cristina Cesar

    Ao final do ensino médio eu tive meu primeiro contato com a obra da Ana Cristina Cesar (1952-1983), na antologia 26 Poetas Hoje, organizada pela Heloísa Buarque de Hollanda, na qual também constam as poetas marginais da geração mimeógrafo Leila Miccolis, Isabel Câmara, Vera Pedrosa e Zulmira Tavares. Fiquei impactada pelo tom confessional e extremamente íntimo e desprendido dos trechos de diários (semificcionais ou não), especialmente: Acordei com coceira no hímen. No bidê com espelhinho examinei o local. Não surpreendi indícios de moléstia. Meus olhos leigos na certa não percebem que um rouge a mais tem significado a mais. Passei pomada branca até que a pele (rugosa e murcha) ficasse brilhante.…

  • Discos,  Indicações

    TODXS, de Ana Cañas

    O que houve com Ana Cañas? A moça outrora com carinha (e melodias) doces se transformou em porta-voz de tantas bandeiras. Não vou falar de pink money nem de apropriação cultural aqui. Só sei que TODXS (2018) é o álbum mais consistente da carreira dela desde a estreia em Amor e Caos (2007) – e eu ouvi todos na tarde anterior ao show aqui em BH. Essa pegada soul, meio hip hop às vezes, o cover de ‘Eu Amo Você’ do Tim Maia, as letras fogo no patriarcado, tanta coragem que exala desde a capa, tudo encaixa muito bem com a nova imagem e postura libertária da cantora, topless no Rock in Rio.  Stephania AmaralMestra…

  • Indicações,  Seriados

    CRASHING, Phoebe pré Fleabag

    Bem que a Isa disse que valia a pena assistir a Crashing (2016-), disponível na Netflix. A série foi escrita e protagonizada pela Phoebe Waller-Bridge (Fleabag) – vulgo mulher do momento – que em breve terá um programa só pra ela! Em menos de uma semana eu vi e revi os curtos e bombásticos 6 episódios (“Phobe é econômica”) sobre uma turma que vive em um hospital desativado. Lulu, personagem da Phoebe, chega para desmoronar ainda mais o local que já está caindo aos pedaços (como indica o título) e as conexões entre os que ali vivem. Sam, Kate, Anthony, Melody, Colin e Fred são personagens interessantes e com curvas surpreendentes, todos com…

  • Blogs,  Críticas,  Stephania Amaral

    A VIDA INVISÍVEL

    Senti desespero e desolação. Senti o medo do vento e da tempestade quando na floresta uma chama pela outra: – Eurídice!  – Guida! Perdidas desde o início, assim ficam as irmãs ao longo de toda a película, enviando cartas saudosas (ou seriam diários?) nesta adaptação de Karim Aïnouz do romance epistolar de Martha Batalha. Impedidas […] https://stephaniaamaral.wordpress.com/2019/11/21/a-vida-invisivel/...

  • Discos,  Indicações

    APKÁ!, de Céu

    Tenho ouvido bastante o APKÁ!, quinto álbum de estúdio da cantora e compositora paulista Céu, que eu acompanho desde o disco homônimo lançado em 2005 (com a famosa “Malemolência”). Este trabalho não supera o já clássico Vagarosa (2009) nem Tropix (2016), meu preferido, mas como sempre, traz uma sonoridade envolvente e letras marcantes cantadas pela voz doce e meio rouca, especialmente “Coreto” (clipe abaixo) e “Nada Irreal”.  Stephania AmaralMestra em cinema de horror, revisora e aspirante à crítica de música no @discosdaste

  • Indicações,  Livros

    Digo Te Amo para Todos Que Me Fodem Bem, de Seane Melo

    Uma amiga me emprestou recentemente o livro “Digo Te Amo para Todos Que Me Fodem Bem” (Quintal Edições). Quando comecei a ler no busão já de volta pra casa, animada pelo impacto que causou nela, pensei que eram relatos da autora maranhense Seane Melo, tamanha a verossimilhança da forma como se deu a narrativa. Mas logo vi que havia uma personagem, Vanessa, que na verdade parece ter sido mesmo inspirada por casos de moças reais. Em entrevista para a revista Claudia, Seane afirma que “Sentia falta de ler diálogos mais casuais em que a mulher não estivesse sempre disponível”. A autora – também podcaster no @mulheresqueescrevem – publica outras histórias…

  • Discos,  Indicações

    Mais que os Olhos Podem Ver, de Jade Baraldo

    Tenho ouvido muito o “Mais que os Olhos Podem Ver” (2019), disco de estreia de Jade Baraldo. A xovem que surgiu ano passado com o refrão forte “vadia, louca, depravada…” continua corajosa e indomável desde os primeiros versos em “perigo” (veja o clipe abaixo), depois do convite “vem sentir comigo”: “não tenho medo de ser quem eu sou, nem tenho vergonha nenhuma de expor”. O clima de romance é mais forte no primeiro ato, em faixas como “nós 2”, “yo quiero!” e “jardim”. Ela canta em inglês em “oh my baby… let’s die together”, reforçando a pegada pop embalada por alt-R&B e MPB. As letras ficam mais críticas e agressivas…

  • Blogs,  Críticas,  Stephania Amaral

    JOKER

    Joaquin Phoenix renasce a cada atuação e mais uma vez entrega – não apenas empresta – seu corpo e alma ao personagem. Coringa é a dança de um palhaço triste, que escreve em seu diário epitáfios funestos como “espero que minha morte faça mais sentido do que minha vida”.  As fantasias de Arthur Fleck se […] https://stephaniaamaral.wordpress.com/2019/10/03/joker/...

  • Discos,  Indicações

    Planeta Fome, de Elza Soares

    Aos 82 anos, Elza Soares, depois dos impecáveis A Mulher do Fim do Mundo (2015) e Deus é Mulher (2018), demonstra extrema vitalidade ao lançar o 34º álbum de sua carreira, Planeta Fome (2019) – a capa maravilhosa é da Laerte! Com parcerias com BaianaSystem e BNegão, com direito a referências ao Tim Maia “me dê motivo, pra ir embora…” e agradecimento irônico ao Garrincha, “obrigada mané!”, ela regravou ainda canções de Seu Jorge e Gonzaguinha, além da recente “Não Recomendado”. Os ritmos e as letras pesados refletem a atual atmosfera política do país, referenciado a todo momento não só na faixa “Brasis”. Segundo a dELZA, “o Brasil só está…