• Cinema,  Críticas e indicações,  Filmes

    Rainha de Copas

    Anne (Trine Dyrholm) é uma bem sucedida advogada que trabalha em casos de violência contra menores. Casada com um médico, mãe de duas filhas gêmeas e moradora de uma imensa casa com grandes panos de vidro rodeada por um bosque, ela parece ter uma vida perfeita. Mas a chegada de seu enteado, o adolescente Gustav (Gustav Lindh), desestabiliza sua rotina. Gustav, que enfrenta problemas na escola, aceitou terminar o ano letivo morando com o pai. Mas o que ele traz para a vida de Anne é toda uma nova vivacidade que contrapõe sua rotina. Ela é invisível para seu marido e as interações entre os dois são de um distanciamento…

  • Podcasts

    Feito por Elas #81 Věra Chytilová

    O programa de hoje é sobre a cineasta de vanguarda Věra Chytilová, pioneira da Nouvelle Vague tcheca. Conversamos sobre os seus filmes Algo Diferente (O necem jiném, 1963), As Pequenas Margaridas (Sedmikrásky, 1966) e Fruto do Paraíso (Ovoce stromu rajských jíme, 1970). O programa é apresentado por Isabel Wittmann do Estante da Sala, Camila Vieira da Revista Sobrecinema, Stephania Amaral do Cinematório e Instagram Discos da Stê e Kel Gomes do Cinematório. Oferecimento: Telecine: acesse para testar Feedback: contato@feitoporelas.com.br Feed|Facebook|Twitter|Instagram|Letterboxd|Telegram Edição: Felipe Ayres e Isabel Wittmann Pesquisa e pauta: Stephania Amaral  e Isabel Wittmann Arte da capa: Amanda Menezes Vinheta: Felipe Ayres Locução: Deborah Garcia (deh.gbf@gmail.com) Assine nosso Padrim Assine nosso Patreon Mencionados: [SORTEIO] Regras para participar do sorteio do box da Obras-Primas do…

  • Críticas e indicações,  Filmes,  Notícias

    Filmes de grandes atrizes do cinema para ver pela internet

    Quando pensamos nas atrizes que entram para o panteão dos grandes nomes do cinema, muitas vezes vêm a nossa memória aquelas que trabalharam nas primeiras décadas da sétima arte. E não é por acaso, já que até a década de 1950, durante a era clássica de Hollywood e que se chama de Star System, ou Sistema de Estrelas, a maior parte dos papéis de destaque era conferido a elas e não a seus companheiros de tela. Depois desse período, os atores passaram a ter presença mais forte nas produções e às mulheres, muitas vezes, se delegou o papel de coadjuvantes. Separamos para vocês filmes com essas grandes divas do cinema…

  • Cinema,  Críticas e indicações,  Filmes

    Minha Lua de Mel Polonesa

    Fotos antigas que guardam recordações de antepassados que sequer conhecemos: assim começa o filme Minha Lua de Mel Polonesa. A diretora, Élise Otzenberger, que também roteirizou o filme, tem muito em comum com a protagonista, a francesa Anna (Judith Chemla). Assim como ela, é de família judia de origem polonesa e pouco sabe sobre eles, em virtude das vidas e histórias dizimadas durante o Holocausto. Anna, que é casada com Adam (Arthur Igual) e tem um bebê de um ano de idade, pede aos seus pais que cuidem da criança por alguns dias para que o casal viagem para a Polônia. A ideia é que tenham tempo para si, mas…

  • Cinema,  Críticas e indicações,  Filmes

    Bacurau

    Que roupa é essa menino? Spoilers moderados à frente Bacurau, dirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, é significativo em meio ao cenário político brasileiro de 2019, retratando processos e atores sociais que são muito próximos de nossa realidade, mas moldando-os em um complexo e instigante hibridismo de gênero. A história se desenrola na cidadezinha também chamada Bacurau, no Oeste de Pernambuco. A localização não é por acaso, pois o faroeste (sertanejo) se desenrolará por ali. Longe demais das capitais, a população local está abandonada à sorte de um prefeito almofadinha, Tony Jr (Thardelly Lima) que só é capaz de lhes fornecer alimentos e medicações vencidos, alguns significativos caixões…

  • Podcasts

    Feito por Elas #80 Thelma e Louise

    Nesse programa conversamos sobre Thelma e Louise (Thelma & Louise, 1991), dirigido pelo Ridley Scott, que esse ano completa 28 anos de lançamento e se tornou um filme marcante quando se trata de protagonismo feminino. Ele recebeu 6 indicações ao Oscar: montagem, fotografia, direção, atriz pras duas protagonistas (Susan Sarandon e Geena Davis) e roteiro original, sendo premiado por esse último. Destacamos o trabalho da roteirista foi Callie Khouri, que era, então, estreante. O programa é apresentado por Isabel Wittmann do Estante da Sala, Camila Vieira da Revista Sobrecinema e Stephania Amaral do Cinematório e Instagram Discos da Stê. Oferecimento: Telecine: acesse para testar Feedback: contato@feitoporelas.com.br Feed|Facebook|Twitter|Instagram|Letterboxd|Telegram Edição: Felipe Ayres e Isabel Wittmann Pesquisa e pauta: Isabel Wittmann Arte da capa:…

  • Notícias

    A Vida Invísivel representa o Brasil na corrida pelo Oscar

    A Academia Brasileira de Cinema anunciou hoje pela manhã, em coletiva de imprensa que ocorreu em São Paulo, o filme escolhido para representar o Brasil no na disputa pela vaga para o prêmio de Melhor Filme Estrangeiro no Oscar de 2020. O indicado é A Vida Invisível, dirigido pelo cineasta cearense Karim Aïnouz. O drama é adaptado do livro de Martha Batalha, trata da trajetória das irmãs Guida e Eurídice no Rio de Janeiro na década de 1950, lutando contra o conservadorismo. O longa é protagonizado por Fernanda Montenegro, Carol Duarte e Julia Stockler. A comissão responsável pela escolha foi composta por Anna Muylaert (presidente); Amir Labaki; Sara Silveira; David…

  • Críticas e indicações,  Filmes,  Notícias

    Filmes de diretoras brasileiras para ver direto na internet

    O cinema produzido no Brasil, mesmo enfrentando desvalorização, dificuldades e preconceitos, já provou que é capaz de nos entregar filmes de qualidade ímpar. A variedade de temas e propostas, a abordagem de questões sociais e políticas com profundidade e criatividade, além do estilo e da estética, são características que chamam a atenção de cinéfilos e críticos do mundo inteiro. Nosso cinema está sempre marcando presença em festivais internacionais, sendo, muitas vezes, reconhecido com prêmios importantes.  As diretoras brasileiras, claro, são essenciais nesse movimento. Elas são responsáveis por grandes filmes que falam diretamente com nossa sociedade e, ao mesmo tempo, projetam o Brasil e a arte cinematográfica nacional para o público…

  • Críticas e indicações,  Discos

    Julia Jacklin, “Head Alone”

    Convido vocês a conhecer o trabalho indie folk da cantora e compositora australiana Julia Jacklin a partir do videoclipe de “Head Alone”, faixa do mais recente disco dela, Crushing (2019), sucessor de Don’t let the kids win (2016). No plano sequência de pouco menos de 3 minutos (não parece haver cortes), a moça de vestido florido de época abraça um rapaz intensamente, 360 graus de abraço. Logo, ela se afasta com delicadeza, e não sem antes olhar pra trás uma última vez, sai pela rua, diante de um poético céu violeta, dá murrinhos no ar e corre dançando, cabelos ao vento, enquanto canta versos libertadores como “eu não quero ser…

  • Críticas e indicações,  Livros

    Clara Averbuck Toureando o Diabo

    A escritora gaúcha Clara Averbuck dedica seu sétimo livro “pras minas”. Scanners de agendas conferem suspeita verossimilhança ao relato em algumas das páginas em preto e branco, nas quais ela escreve sobre relações quase sempre efêmeras em metalinguagem irônica: “Eu vivo de fazer versões da vida que não são verdade, mas todo mundo acha que é diário, que é confessional. Quero ver chamar literatura de homem de confessional. Jamais aconteceu, né? Só mulheres têm pecado pra confessar”. Parceria com a ilustradora Eva Uviedo, “Toureando o Diabo” foi lançado em 2015 por financiamento coletivo – mas ainda restam exemplares raros na Estante Virtual.